quinta-feira, 9 de maio de 2013

Sobre o filme Imaginaerum




Faz um tempo que postei a notícia sobre o filme “Imaginaerum”, realizado pela banda finlandesa de symphonic metal Nightwish.
Aguardei ansiosamente para assistir o filme, mas sem esperar nada muito bom.
Acontece que ele me surpreendeu de duas formas diferentes: o roteiro está abaixo do que eu esperava e o visual (incluindo efeitos digitais) até me surpreenderam.
A premissa não chama muito a atenção de quem lê a sinopse. Mas quem lê a sinopse E assiste o trailer já fica curioso para assistir.

A mistura de drama com fantasia nos moldes do “Imaginaerum”, não é inédita, mas é rara e por si só já merece uma conferida.
Mas devo confessar que o filme deixou-me com um sentimento incômodo de frustração, não pelo que ele foi, mas pelo que poderia ser. Levando em consideração que é um filme realizado por uma banda sem experiência no assunto e que é o longa de estreia de um diretor que até então havia feito apenas clipes musicais e games, o filme se mostra surpreendentemente agradável de se assistir. Mas ainda assim há algo de decepcionante nele.

Antes que os fãs do Nightwish que AMARAM o filme me apedrejem, direi o porquê: